ACESSAR O MATERIAL TAGS

Autor(a):

Corrochano, Maria Carla

Orientador(a):

Esposito, Marilia Pontes

Ano de publicação:

2008

Unidade USP:

Faculdade de Educação [FE]

Assuntos:

trabalho (educação); jovens; trabalhador jovem; desemprego; políticas públicas

Palavras-chave do autor:

ações públicas;desemprego;educação;juventude;São Paulo;trabalho

Resumo:

Esta tese tem por objetivo compreender as maneiras como jovens homens e mulheres envolvidos em um programa público no município de São Paulo (Programa Bolsa Trabalho) vivem e significam a experiência do trabalho e da ausência de trabalho, na qual se inclui a categoria do desemprego. Secundariamente, também se buscou investigar o lugar e os sentidos que o programa teve nos percursos escolares e profissionais desses jovens. No Brasil, é principalmente a partir do início dos anos 2000 que as temáticas do emprego e, sobretudo, do desemprego e da juventude aproximam-se e ganham a cena pública mobilizando a construção de respostas por parte do Estado. Nesse contexto, o programa investigado desenvolveu, na gestão municipal do período 2001-2004, uma estratégia específica de enfrentamento dos crescentes índices de desemprego juvenil: a retirada ou o retardamento do ingresso de jovens no mercado de trabalho, por meio da transferência de renda e do incentivo de seu retorno ou permanência na escola, aliado à oferta de atividades de caráter educativo. A pesquisa insere-se no campo dos estudos da juventude, em suas inter-relações com o mundo do trabalho, da família e da escola, considerando as mutações destas mesmas instituições, centrais na construção da condição juvenil na sociedade moderna e no processo de socialização dos indivíduos. Do ponto de vista teórico, parte das análises das categorias juventude e desemprego e se utiliza da noção de configuração de Norbert Elias, além dos conceitos de suporte de Danilo Martuccelli e de indivíduo de François Dubet, para análise das entrevistas. Utiliza-se da metodologia qualitativa baseada em entrevistas abertas e em profundidade, a partir de um roteiro semidiretivo. O trabalho de campo desenvolveu-se entre os anos de 2005 e 2006, quando foram entrevistados 7 gestores e 38 jovens, com idades variando entre 19 e 23 anos e que haviam participado do programa há pelo menos um ano, bem como alguns de seus pais e mães. Partindo das narrativas juvenis evidencia-se a diversidade de percursos e significados que jovens de baixa renda atribuem ao trabalho e à falta de trabalho, ou ao trabalho e à sua ausência, sempre na inter-relação com as esferas da escola e da família.

ABNT:

CORROCHANO, Maria Carla; ESPOSITO, Marilia Pontes. O trabalho e a sua ausência: narrativas de jovens do Programa Bolsa Trabalho no município de São Paulo 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-06042009-102813/ >.