ACESSAR O MATERIAL TAGS

Autor(a):

Santos, Maria Aparecida Perroni dos

Orientador(a):

Fernandes, Maria Inês Assumpção

Ano de publicação:

1998

Assuntos:

creches; psicologia social; periferia

Resumo:

Estuda o sentimento de desamparo no contexto institucional de uma creche municipal da periferia de São Paulo, região de Ermelino Matarazzo, analisando a relação entre este sentimento e as mudanças político-administrativo-institucionais e ideológicas ocorridas durante o período da pesquisa e verifica a repercussão desse desamparo para as práticas cotidianas com as crianças. Utiliza técnica de grupo operativo tal qual postulada por Pichon-Rivière, realizando visitas à creche, numa primeira etapa, e três grupos operativos com as funcionárias, constituído de 14, 10 e 6 elementos respectivamente, com seis sessões cada grupo, numa segunda etapa. Verifica que o sentimento de desamparo nas funcionárias, provocado pelas mudanças freqüentes de diretoras e de diretrizes administrativas, decorrentes de mudanças políticas que ocorrem a cada mudança de gestão administrativa ou mesmo dentro de uma mesma gestão, em função de suas redefinições e reorganizações político-administrativas, se expressa, nesta creche em particular, nas dificuldades de relacionamento, prejudicando as práticas e impedindo a criação de condições concretas para a preocupação com as crianças, à medida que as funcionárias se desgastam, emocionalmente, tentando manter a própria sobrevivência psíquica. Conclui que o estado extremo de desamparo/impotência do grupo, provocado pela violência social, leva à morte do projeto da instituição, que é a contínua recriação da tarefa específica de cuidados e educação das crianças.

ABNT:

SANTOS, M. A. P. dos, & FERNANDES, M. I. A. (1998). O desamparo no contexto de uma creche na periferia de São Paulo: a morte de um projeto. Universidade de São Paulo, São Paulo.