ACESSAR O MATERIAL TAGS

Autor(a):

Almeida, Juliana Feliciano de

Orientador(a):

Peres, Maria Fernanda Tourinho

Ano de publicação:

2015

Unidade USP:

Faculdade de Medicina [FM]

Assuntos:

violência urbana; atenção primária à saúde; violência; pesquisa qualitativa; saúde pública; representação profissional; representações sociais

Palavras-chave do autor:

agentes comunitários de saúde;atenção primária;ciências sociais;pesquisa qualitativa;representações sociais;saúde coletiva;vínculos;violência comunitária;violência no trabalho

Resumo:

No Brasil, os reflexos da violência comunitária na conformação e no desenvolvimento das ações dos serviços de saúde, na atenção primária, apresentam-se como uma realidade a ser melhor estudada, assim como merece também mais atenção às repercussões sofridas pelas equipes de saúde. O objetivo do presente estudo consistiu em explorar qualitativamente as representações dos agentes comunitários de saúde (ACS) e da gestora de uma unidade de saúde da Estratégia Saúde da Família (ESF) acerca da violência comunitária no território onde atuam, verificando a possibilidade de interferência desse fenômeno em relação ao trabalho que realizam. Pretendeu-se, ainda, investigar essa interferência na construção dos vínculos entre os ACS e a população atendida por eles. O percurso metodológico adotado foi o da pesquisa qualitativa, por meio de análise das representações sociais, tendo sido realizadas 12 entrevistas abertas com os ACS e uma com a gestora da unidade de saúde em questão, utilizando-se um roteiro previamente elaborado com perguntas flexíveis, valorizando a singularidade das respostas dos entrevistados. Destaca-se como resultado da pesquisa a confirmação da hipótese de que a violência comunitária prejudica a integralidade do cuidado, isto é, a elaboração de determinadas estratégias de promoção, prevenção e recuperação, principalmente com relação à abordagem do tema consumo de drogas. Evidenciou-se que a regulação das ações no campo da saúde é condicionada pelas restrições abertas ou implicitamente colocadas.

ABNT:

ALMEIDA, Juliana Feliciano de; PERES, Maria Fernanda Tourinho. Exposição à violência comunitária dos agentes da Estratégia Saúde da Família e repercussões sobre suas práticas de trabalho: um estudo qualitativo. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5137/tde-22012016-111557/ >.