ACESSAR O MATERIAL TAGS

Ubs

Autor(a):

Munhoz, Carlos Airton Severo

Orientador(a):

Tanaka, Ana Cristina D'Andretta

Ano de publicação:

2009

Unidade USP:

Faculdade de Saúde Pública [FSP]

Assuntos:

neoplasias mamárias (diagnóstico; tratamento); diagnóstico; acesso aos serviços de saúde; serviços de saúde (eficiência); política de saúde; estadiamento de neoplasias

Palavras-chave do autor:

organização de serviço acessibilidade diagnóstico precoce neoplasias mamárias políticas de saúde

Resumo:

Introdução: O câncer da mama é uma das neoplasias mais extensivamente estudadas no mundo todo em muitos aspectos, inclusive em relação às suas características epidemiológicas, algumas bastante peculiares. Isso se deve ao fato de que o câncer de mama na mulher é uma das mais importantes causas de morbimortalidade por câncer em quase todas as populações do planeta desde a segunda metade deste século. Objetivos: Descrever as características de serviços públicos de atendimento ambulatorial em relação ao acesso e resolutividade de pacientes com diagnóstico de câncer de mama atendidas na referência da Casa de Saúde Santa Marcelina Itaquera São Paulo. Metodologia: Estudo exploratório sob uma perspectiva quantitativa, transversal e descritivo. Constituído por meio de uma amostra de 52 mulheres atendidas no Ambulatório de Mastologia no Centro de especialidades (AME) que recorreram ao serviço de junho à setembro de 2008 ,em um dia fixo na semana, e submeteram-se posteriormente à cirurgia para tratamento de câncer de mama. Foi utilizado um formulário de perguntas que permitiu conhecer o nível de informação e acessibilidade das mulheres com câncer de mama. A análise descritiva foi apresentada por meio de tabelas de frequências, médias e desvios padrões. Quando pertinente foi feito análise não paramétrica (qui-quadrado de Pearson).Os dados foram armazenados em planilha Excell e posteriormente analisadas utilizando o pacote estatístico STATA.Resultados:A maioria das pacientes estavam com mais de 50 anos (59,62 por cento).As mulheres foram responsáveis pela percepção de seu problema mamário pelo auto-exame(65,38 por cento). O nódulo foi o achado clínico e radiológico dominante (73,08 por cento), e o carcinoma ductal infiltrante foi o tipo histológico mais comum (88,47 por cento). Percentagem significativa das pacientes (61,54 por cento) não tiveram suas mamas palpadas pelos médicos.A unidade básica de saúde (82,69) foi o recurso mais procurado. Não houve demora no atendimento médico (61,54 por cento).O tempo de demora para ser atendida entre 3 e 6 meses ocorreu em 26,32 por cento das mulheres. Apenas 1 mulher (1,92 por cento) apresentou estadiamento 0.Houve 32(30,77 por cento) mulheres com mais de 50 anos, sendo que 68,75 por cento e 31,25 por cento apresentaram estadiamentos I,IIA,IIB e III,IV respectivamente. Conclusões: Apesar da casuística ser pequena para esta amostra os dados permitem concluir que apesar das mulheres freqüentarem o serviço de saúde, são elas as responsáveis pela percepção de seu problema mamário através do auto-exame e detectam mais o câncer de mama do que a atenção primária. Existe uma demora de mais de 6 meses entre o diagnóstico feito na UBS e o atendimento feito na referência potencializando a evolução do câncer de mama.

ABNT:

MUNHOZ, Carlos Airton Severo; TANAKA, Ana Cristina D'Andretta. Câncer de mama e organização de serviços: do atendimento básico à referência na Casa de Saúde Santa Marcelina Itaquera, no município de São Paulo 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6136/tde-24082009-152950/