ACESSAR O MATERIAL TAGS

Autor(a):

Rodrigues, Carla Roberta Ferraz

Orientador(a):

Zioni, Fabíola

Ano de publicação:

2009

Unidade USP:

Faculdade de Saúde Pública [FSP]

Assuntos:

saúde da família; atenção à saúde; política social; Sistema Único de Saúde; diretrizes para o planejamento em saúde

Resumo:

A Estratégia Saúde da Família tem sido entendida e disseminada como a principal política pública destinada a estruturar atenção básica em saúde. Está presente em mais de 80 por cento dos municípios brasileiros, representando uma importante capilaridade e uma tendência perene. Tem, na concepção do seu processo de trabalho, dois objetivos centralmente valorizados: a família como unidade do cuidado e o incentivo à participação da comunidade no controle social do Sistema Único de Saúde, que comportam, ao menos teoricamente, um grande potencial para democratizar as relações entre serviços de saúde e população e para promover melhores resultados na qualidade da assistência. Entendendo que a despeito das decisões políticas e orientações institucionais, é na dinâmica do funcionamento dos serviços que concretamente se estabelece a relação governo-população, onde se realiza efetivamente o direito, ou não, à saúde, os trabalhadores representam, medeiam e dão forma a tais direitos à população, configurando-se como atores fundamentais para efetivação de qualquer proposta ou projeto. Nesse sentido, entender essas dimensões, do ponto de vista dos seus trabalhadores, pode revelar concepções, impasses e intencionalidades, pessoais e coletivas sobre as dimensões citadas acima, assim como, reproduzir, mesmo que indiretamente, as diretrizes institucionais e políticas propostas para tais práticas.

ABNT:

RODRIGUES, Carla Roberta Ferraz; ZIONI, Fabíola. Representações sociais de trabalhadores da saúde da família como unidade do cuidado e controle social, por meio dos conselhos gestores, zona leste da cidade de São Paulo . 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.