ACESSAR O MATERIAL TAGS

Autor(a):

Iversson, Lygia Busch

Orientador(a):

Barbosa, Victorio

Ano de publicação:

1975

Unidade USP:

Faculdade de Saúde Pública [FSP]

Assuntos:

meningite bacteriana

Resumo:

O autor fez um estudo epidemiológico sobre a meningite meningocócica no município de São Paulo durante o período de janeiro de 1971 a junho de 1974. Durante esse período duas epidemias de moléstia ocorreram na área estudada. A primeira se iniciou em julho de 1971 e foi causada pelo meningococo sorogrupo C. Os primeiros casos da segunda epidemia, determinada pelo meningococo sorogrupo A, foram observados em abril de 1974, ocasião em que a primeira epidemia ainda não havia terminado. O número total de casos confirmados notificados ao Departamento Regional da Saúde da Grande São Paulo foi de 4.431. Os maiores coeficientes de morbidade foram observados: durante os meses frios; nos distritos sanitários da periferia do município, onde vive a população de menor poder aquisitivo; nos latentes. Durante os dois primeiros meses das duas epidemias, houve uma diferença significante nos grupos etários mais atingidos pela moléstia. Enquanto na primeira epidemia o grupo dos latentes foi mais atingido, na segunda epidemia grande número de casos ocorreu entre os adolescentes e adultos jovens (15-24 anos). A letalidade decresceu de 15,0por cento durante o período pré-epidêmico de 1968-1970 para 7,9por cento no período epidêmico de 1971-1974. Foi observada uma variação sazonal da letalidade no sentido inverso ao da morbidade. O autor considera que as migrações populacionais possam ter representado um papel importante na eclosão das epidemias e sugere uma investigação futura nesse sentido.

ABNT:

IVERSSON, Lygia Busch; BARBOSA, Victorio. Meningite meningocócica no munícipio de São Paulo no período de 1968-1974: aspectos epidemiológicos. 1975.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1975. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-15022017-161132/pt-br.php >.