ACESSAR O MATERIAL TAGS

Autor(a):

Corrêa, Thiago Moreira

Orientador(a):

Pietroforte, Antonio Vicente Seraphim

Ano de publicação:

2016

Unidade USP:

Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas [FFLCH]

Assuntos:

semiótica; linguística; história da arte; graffiti; cultura underground

Palavras-chave do autor:

cultura underground;graffiti;história da arte;linguística;semiótica

Resumo:

A diversidade das abordagens em relação às inscrições urbanas reflete a sua complexidade. Cada análise, seja ela sociológica, psicológica, histórica ou artística, constrói o objeto segundo seu ponto de vista (SAUSSURE, 1997), o que limita a investigação da prática. Se considerarmos as inscrições urbanas como uma confluência de movimentos, social e artístico, a articulação desses dois fatores é preponderante, visto que é a ausência dessa relação que tem determinado abordagens enviesadas de sua manifestação. Então, a partir dessas segmentações unilaterais, nossa tese propõe uma ampliação nas tendências de análise, ao considerar a história das inscrições urbanas sob o viés da prática, do texto e do objeto. Dessa forma, busca-se apontar as conservações e as inovações das estruturas de formação do sentido das inscrições urbanas em função de suas mudanças históricas. No nível da prática, um modelo de dinâmica social, baseado nas teorias de Merton (1970) Coseriu (1979) e Klinkenberg (2008, 2010), é estabelecido para explicar a produção dos enunciados, cujas relações entre o plano do conteúdo e o plano da expressão (FIORIN, 2008) e a influência da repetição na formação de algumas modalidades (LEMOS, 2015) desenvolvem nossa abordagem nesse nível de análise. Já o nível do objeto faz a junção com a prática e o texto por meio do suporte, que encontra na proposta de Dondero (2016) e Fontanille (2005, 2015) uma forma pertinente de tratamento de nosso objeto. Ressaltamos que, embora o tratamento histórico tenha uma base interdisciplinar, devido às necessidades do objeto, o processo de produção do sentido na diacronia é nosso objetivo principal e para isso, as teorias da linguagem conduzem todo o desenvolvimento de nossa reflexão, na qual a semiótica tensiva (ZILBERBERG, 2012) possui um especial destaque em razão de suas contribuições a respeito das dinâmicas processuais do sentido. Assim, acreditamos que a complexidade das inscrições urbanas exige novos tipos de abordagem, permitindo à teoria semiótica se desenvolver na apreensão de práticas cujo sentido é formado em uma forte dependência entre os níveis de análise do texto.

ABNT:

CORRÊA, Thiago Moreira; PIETROFORTE, Antonio Vicente Seraphim. Inscrições urbanas: abordagem semiótica. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-02122016-134016/ >.