ACESSAR O MATERIAL TAGS

Comunidade Urbana, Participação Comunitária, Projeto Social, Teatro Comunitário, Vulnerabilidade

Autor(a):

Diba, Denise

Orientador(a):

Oliveira, Ana Flavia Pires Lucas D

Ano de publicação:

2012

Unidade USP:

Faculdade de Medicina [FM]

Assuntos:

adolescentes; promoção da saúde; vulnerabilidade; teatro e educação

Palavras-chave do autor:

adolescente;empoderamento;Instituto Pombas Urbanas;juventude;promoção da saúde;teatro e comunidade;vulnerabilidade

Resumo:

A presente dissertação é fruto do interesse da pesquisadora pela linguagem teatral e suas conexões com o campo da saúde. Neste recorte, objetivamos conhecer de que maneira as atividades de teatro têm sido compreendidas e operacionalizadas no trabalho realizado nos últimos anos pelo Instituto Pombas Urbanas no Centro Cultural Arte em Construção, distrito de Cidade Tiradentes, analisando se e como elas podem estar relacionadas com a Promoção da Saúde de jovens participantes do projeto. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo etnográfica, onde acompanhamos durante um ano o trabalho realizado pelo grupo de teatro Pombas Urbanas nesta Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que volta seus trabalhos para a comunidade. Foi realizada observação etnográfica composta por observação participante, dezessete entrevistas semi-estruturadas com os atores do grupo Pombas Urbanas, jovens do Núcleo Teatral Filhos da Dita, da Turma Jovem e da Turma Iniciante, além de análise documental. Analisamos qual a relação existente entre a participação nestas atividades, a redução da vulnerabilidade e o empowerment considerados como componentes importantes da Promoção da Saúde. Como resultados apontamos que, no caso estudado, a vivência teatral tem contribuído para a promoção da saúde dos participantes, especialmente através da metodologia de teatro comunitário utilizada pelo grupo, com ênfase na escuta, estímulo ao diálogo e relações não hierárquicas ou competitivas entre os participantes. Esta vivência tem possibilitado que eles considerem estar aumentando seu autoconhecimento e sintam-se protegidos e apoiados uma vez que consideram que a vivência teatral tem possibilitado uma sólida ampliação de sua rede de apoio social. Também tem permitido a valorização de suas origens, o desenvolvimento de habilidades sociais e que tenham maior consciência crítica em relação a questões como consumismo, trabalho/lazer, uso de álcool e/ou drogas e questões relacionadas à sexualidade, como o uso de preservativos e a escolha de parceiros. Toda essa vivência tem gerado saúde porque, integradamente às questões já expostas, tem permitido que os jovens reflitam e optem por seus projetos de vida de forma que se sintam mais realizados e satisfeitos, além de realizarem importantes intervenções e ações políticas na comunidade em que vivem.

ABNT:

DIBA, Denise; OLIVEIRA, Ana Flavia Pires Lucas D. De ponto de drogas à Ponto de Cultura: juventude, teatro e promoção da saúde - o grupo Pombas Urbanas em Cidade Tiradentes. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5137/tde-25102012-164958/ >.