ACESSAR O MATERIAL TAGS

Favela

Autor(a):

Neder, Cristiane Pimentel

Orientador(a):

Tassara, Marcello G.

Ano de publicação:

2001

Unidade USP:

Escola de Comunicações e Artes [ECA]

Assuntos:

comunicação; política; tecnologia da comunicação (aspectos políticos)

Resumo:

Esta dissertação de mestrado tem como objetivo discutir as influências que as novas tecnologias de comunicação exercem sobre a formação política da sociedade. Contém temas atuais que abordam a dicotomia do desenvolvimento tecnológico à frente do desenvolvimento social. Mostra como a história dos meios de comunicação sempre esteve interligada aos acontecimentos políticos nacionais ou internacionais; como a política usou os meios de comunicação para abranger a sociedade como os políticos se servem dos meios de comunicação para beneficiarem a si próprios e como os meios de comunicação manipulam a sociedade em favor de sistemas políticos que lhe interessem. O uso público dos meios de comunicação pode ser meio de libertação ou de dominação na sociedade, dependendo de quem tem o poder de informar e de conduzir a informação para a formação de uma sociedade democrática ou autoritária, e de como a partir do surgimento das novas tecnologias de comunicação a sociedade se organiza e de como ela é influenciada pelos meios em menor ou maior escala. A relação tempo presenciar e tempo virtual, o estar presente estando ausente, como as novas tecnologias diminuem as distâncias no mundo, como as culturas se difundem umas com as outras em tempos de globalização, pasteurizando-as a favor de um mercado econômico mundial, e como tudo isto ocorre em um tempo curto e vivencialmente falso e sintético, em detrimento real de tempo cronológico histórico. As várias mega-fusões das empresas de comunicação formando conglomerados enormes nas mãos de poucos homens com poderes políticos inéditos mais fortes do que os poderes dos próprios políticos e da própria sociedade, usando dos meios de comunicação para manipular a sociedade mundialmente em benefício próprio e do capital internacional. O perigo de uma ditadura tecnológica e do poder da imprensa substituir o próprio poder democrático, levando ao absolutismo e ao totalitarismo desenvolvido ) pelos meios de comunicação, atuando como chefes de Estado assessorados pelo desenvolvimento tecnológico. A sociabilidade na multimídia, como as pessoas estão se relacionando em comunidades virtuais a partir do surgimento das novas tecnologias de comunicação e de como o ser humano está perdendo ou ganhando novas sociabilidades através da utilização das técnicas. A sociedade sintética, o pensamento, o amor sentidos através dos meios e a política exercida através da cibernética. Como os relacionamentos humanos estão mudando desde quando as novas tecnologias fazem parte do quotidiano "humano". Os políticos robôs e os homens públicos sintéticos que as novas tecnologias de comunicação formam aliados aos efeitos do "marketing media". Os discursos políticos frios formados dentro dos estúdios de tevê e do computador, os homens públicos de carne e osso transformados em fantoches através dos recursos técnicos. Os políticos que não têm mais ideologia e nem programa de governo, são movidos pelos efeitos das pesquisas de opinião pública e dos comentários de imprensa. Os políticos inconstantes que fazem política, cercados pelo palanque eletrônico e não pela vontade popular. A favela eletrônica: A modernidade convivendo com as desigualdades sociais. Como as novas tecnologias de comunicação estão sendo inseridas nos países de terceiro mundo, e como as inovações técnicas e informacionais estão a frente do desenvolvimento político e social. As disparidades de miséria, do analfabetismo, da falta de moradia e de alto índice de doenças convivendo ao lado da revolução das novas tecnologias de comunicação. As pessoas que se relacionam, trabalham e se divertem usando as novas tecnologias como suportes de novos ambientes sociais de convívio e de relacionamento humano. Os garotos e garotas de "programa", a nova geração de jovens que formam um nicho de pessoas basicamente virtuais. A questão da democracia, as discussões ) políticas dentro da rede, as novas formas de fazer manifestação política usando das novas tecnologias de comunicação. Análise de se a democracia vivencial sempre foi virtual e se a democracia virtual só não oficializou a forma de democracia real no ambiente virtual. O trabalhador virtual e as novas formas de escravidão na rede, denominadas com tema de ciber-escravos que formam no seu conjunto uma espécie de senzala eletrônica. Como as novas tecnologias escravizam o ser humano em nome do mercado mundial? O trabalho foi concluído dando perspectivas futuras de como as novas tecnologias de comunicação vão influenciar no desenvolvimento e na formação política, e de como o próprio tempo futuro se torna fictício no universo cibernética, e no tempo real presente, e de que a promessa de modernização acaba desempenhando uma função política de vender o futuro somente pela finalidade de avanço tecnológico e não social.

ABNT:

NEDER, Cristiane Pimentel; TASSARA, Marcello G.As influências das novas tecnologias de comunicação social na formação política. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.