ACESSAR O MATERIAL TAGS

Funk, Perinstituto De Física [If]Eria, Rap

Autor(a):

Dayrell, Juarez

Orientador(a):

Sposito, Marilia Pontes

Ano de publicação:

2001

Unidade USP:

Faculdade de Educação [FE]

Assuntos:

interação social (sociologia); música; jovens; sociologia educacional

Resumo:

Esta investigação se propõe a discutir os processos de socialização vivenciados por jovens pobres na periferia de Belo Horizonte. Tendo como foco os jovens integrantes de três grupos de rap e três duplas de funk, procura analisar as suas experiências culturais e o sentido que tais práticas adquirem no conjunto dos processos sociais que os constituem como sujeitos sociais. Significa compreender como eles elaboram suas vivências em torno do estilo e os significados que lhe atribuem, mas também revela-os na sua condição de jovens, para além da sua participação nos grupos musicais, buscando apreender as relações que estabelecem entre essa experiência e a vivência nas outras instâncias sociais em que se inserem, como a família, o trabalho ou a escola. A investigação aponta que os rappers e os funkeiros encontram poucos espaços nas instituições do mundo adulto para construir referências e valores por meio dos quais possam se construir como sujeitos. Os estilos rap e funk assumem uma centralidade na vida desses sujeitos. Por meio deles reelaboram as imagens correntes sobre a juventude, criando modos próprios de ser jovem, e expressam a reinvindicação do direito à juventude.

ABNT:

DAYRELL, Juarez; SPOSITO, Marilia Pontes. A música entra em cena: o rap e o funk na socialização da juventude em Belo Horizonte. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.